Redes Sociais, o nosso dia-a-dia

Redes Sociais são o meio através do qual uma marca pode estar no lugar certo e na hora exata para conseguir converter um lead num cliente. Mas isto apenas é possível quando a gestão das redes sociais é decisiva para aumentar o alcance da marca no mundo digital, o que influencia as referidas e esperadas conversões.

O que são redes sociais?

As redes sociais são plataformas online que permitem às pessoas relacionarem-se. Este relacionamento pode ser através de partilha de fotos, vídeos, textos e músicas, trocar informações, enviar mensagens, partilhar publicações que admirem, partilhar ideias e interesses com outras pessoas, entre muitas outras possibilidades.

Assim, é um meio que apresenta liberdade de expressão e permite a interação entre pessoas de diferentes nacionalidades, classes sociais, religiões, interesses políticos e ambientais, entre outros.

É desta forma que, com o passar do tempo, as redes sociais se tornaram um canal ideal de marketing para as marcas, sendo possível a sua comunicação, como também a dos seus produtos e/ou serviços, campanhas de marketing, promoções e cultura interna. A consequência desta ação planeada é o crescimento do alcance da marca no mercado, o fortalecimento da relação entre a marca e os clientes e a respetiva notoriedade e brand awareness. Para tal, as marcas devem estar presentes em diversos canais de comunicação.

 

Quais são as redes sociais que existem?

A verdade é que quando se refere redes sociais, as que vêm logo à mente das pessoas são o Facebook e o Instagram, sendo que existem muitas mais no mercado. As mais comuns, e por anos de lançamento, são as seguintes:

LinkedIn

Esta rede social foi criada em 2002 e apresenta, hoje em dia, uma média de 310 milhões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é o networking, ou seja, a interação e expansão de contactos profissionais, principalmente para negócios B2B.

Facebook

Esta rede social foi criada em 2004 e apresenta, hoje em dia, uma média de 2,5 biliões de utilizadores ativos mensais no mundo. Apenas para ter uma ideia, isto representa cerca de 32,5% da população global.

A principal característica é a interação social entre as pessoas e a expansão de contactos.

YouTube

Esta rede social foi criada em 2005 e apresenta, hoje em dia, uma média de 2 biliões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de vídeos, sendo considerado o segundo maior motor de busca.

Twitter

Esta rede social foi criada em 2006 e apresenta, hoje em dia, uma média de 330 milhões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de pequenas atualizações e publicações, chamadas de “tweets”.

Whatsapp

Esta rede social foi criada em 2009 e apresenta, hoje em dia, uma média de 1,6 biliões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é o envio de mensagens instantâneas e chamadas de voz.

Pinterest

Esta rede social foi criada em 2010 e apresenta, hoje em dia, uma média de 300 milhões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de conteúdo visual, principalmente para áreas como artesanato, culinária, moda e fitness.

Instagram

Esta rede social foi criada em 2010 e apresenta, hoje em dia, uma média de 1 bilião de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de fotos e vídeos, que conta com recursos como Stories e IGTV.

WeChat

Esta rede social foi criada em 2011 e apresenta, hoje em dia, uma média de 1,1 bilião de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é o envio de mensagens instantâneas.

Snapchat

Esta rede social foi criada em 2011 e apresenta, hoje em dia, uma média de 314 milhões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de imagens ou vídeos curtos, podendo cada um ter no máximo 10 segundos.

Facebook Messenger

Esta rede social foi criada em 2011 e apresenta, hoje em dia, uma média de 1,4 biliões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é o envio de mensagens instantâneas.

TikTok

Esta rede social foi criada em 2016 e apresenta, hoje em dia, uma média de 500 milhões de utilizadores ativos por mês.

A principal característica é a partilha de vídeos curtos.

 

Mas quais são as redes sociais em que deve estar presente?

Ora bem, a resposta é talvez em todas, ou nenhuma, ou apenas numa.

A verdade é que não existe uma resposta objetiva para a pergunta, pois cada marca é única. Por isso, o primeiro passo é definir o público-alvo da marca, depois descobrir as redes sociais onde estar presente.

Com essa informação, pode escolher as redes sociais onde deve marcar a sua presença online. Para isso, é necessário desenvolver uma estratégia e modo de atuação, de acordo com os objetivos da marca e as características do público-alvo e da própria rede social. Por exemplo, o Instagram e o Pinterest são plataformas mais voltadas para os conteúdos visuais e informais, enquanto que o YouTube é uma plataforma de vídeo e o LinkedIn é mais profissional. Logo, a estratégia deve ter em conta as especificidades de cada rede social para que a marca consiga alcançar da forma pretendida o seu público-alvo.

Assim, para quem tem dificuldades em perceber onde está o público-alvo e qual o melhor modo de atuação, o conselho é testar e analisar os resultados para que consiga perceber quais as redes sociais que apresentam um maior retorno para a marca.

 

Mas para que servem as redes sociais?

O objetivo das redes sociais é conectar e aproximar as pessoas. Por isso, têm um papel muito importante na sociedade, sendo muitas vezes também decisivo, o que revela por um lado vantagens e por outro desvantagens.

Dentro das vantagens para as marcas, destacam-se as seguintes:

  • Fomentar o branding de forma a construir uma marca forte e de confiança para o público
  • Permite a comunicação em massa
  • Segmentação do público, de acordo com dados demográficos, interesses e demais informações relevantes para a campanha
  • Informação em tempo real
  • Interação direta com o público-alvo, aproximando as pessoas
  • Possibilidade de vendas
  • Facilidade na organização de eventos e comunicação dos respetivos detalhes, como por exemplo o evento de lançamento de um produto
  • Monitorizar os resultados

Em contrapartida, nas desvantagens, destacam-se as seguintes:

  • Divulgação de fake news que causam polémicas desnecessárias
  • Privacidade comprometida devido à exposição de dados pessoais
  • Estado de dependência das redes sociais, desenvolvendo em alguns casos distúrbios, como ansiedade

Em suma, as redes sociais estão por todo o lado e fazem parte do dia-a-dia das pessoas. As marcas devem tirar o máximo proveito desta realidade de forma a conseguirem angariar e comunicar com potenciais clientes.

 

Ver mais sobre este serviço: https://green.pt/redes-sociais/

 

Redes sociais: FacebookInstagram e LinkedIn